Eugênio Scannavino

eugenio historia_fotoSaúde e Alegria / Brasil – www.saudeealegria.org.br

Há cerca de 30 anos, o infectologista Scanavino foi à Amazônia e viu-se como o único médico a atender 800 comunidades rurais. Notou que para muitos ali sua presença significava o primeiro contato com um profissional da saúde. Havia muitas mortes por verme, diarréia, desidratação.

Atualmente ele, seu irmão Caetano e uma equipe, mantém um barco-hospital que chega às áreas mais remotas da floresta.  Para o médico, os dois lados (ele e a população de Santarém e arredores – outros três municípios que atende) têm obrigações e contra-partidas um com o outro. Fala muito dessa necessária parceria para que o trabalho se desenvolva bem.

O que faz o Saúde e Alegria

O projeto Saúde e Alegria atua na Amazônia desde 1987, contribuindo no aprimoramento das políticas públicas e na qualidade de vida e cidadania de cerca de 30 mil pessoas de quatro municípios a oeste do Pará – Belterra, Aveiro, Juruti e Santarém, onde fica sua sede. A transformação é realizada por meio de programas que visam a organização social, os direitos humanos, a saúde, o saneamento, a geração de renda, a educação, a cultura, a comunicação e a inclusão digital.

A população atendida é, em sua maior parte, de povos tradicionais extrativistas organizados em comunidades de difícil acesso na zona rural, geralmente em situação de risco e exclusão social. Seu lema é: “Saúde, alegria do corpo. Alegria, saúde da alma”.

O que Eugênio Scannavino diz em Quem se Importa

“Cada pequeno problema na comunidade é resultado de todos os fatores que envolvem aquela comunidade desde os culturais, sociais, econômicos, histórico, organização social. Então para você desenvolver uma comunidade, você precisa mexer com tudo”.

A primeira estratégia foi estar junto com a comunidade. E estar junto com a comunidade não é o que muita gente acha, que chega lá um médico e fala: ‘Oh, eu não sei nada, eu vim aqui aprender com vocês!’. Ou então outro que chega lá e fala: ‘Olha vocês têm que fazer isso, têm que fazer aquilo, têm que fazer aquilo!’. São duas coisas erradas. Nós dois temos coisas a colaborar, temos contrapartidas e obrigações mútuas a serem realizadas. Então, é na realidade, uma parceria”.

“Quem é o governo? É um grupo que fica quatro, oito anos. Nós, empreendedores, estamos lá no Saúde e Alegria… eu estou há 20 anos lá em Santarém. Já passou vereador de montão, já passou prefeito de montão. Quem está lá todo dia? São os empreendedores que estão anos e anos todo dia aprendendo. Quem está lá? São as empresas que estão gerando emprego, estão fazendo aquele trabalho”.